Preparativos para vacinação contra a febre aftosa em fase final

A superintendência municipal de Agricultura e Pecuária realiza no próximo dia 26, a segunda e última reunião com vacinadores para tratar dos preparativos para a primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a febre aftosa, que é nacional e acontecerá em grande parte do país entre os dias dois e 31 de maio. Em trabalho conjunto com o Núcleo de Defesa Agropecuária, do governo do Estado, a prefeitura vai doar as doses e ainda vacinar cerca de 60 mil bovinos de pequenos criadores, aqueles com até 70 animais. A primeira reunião foi no último dia 4, quando foram passadas as estratégias de trabalho.

“Desta vez, vamos usar quatro vacinadores por ADRs (Agências de Desenvolvimento Rural), já que o município agora está dividido em quatro, e não mais sete dessas unidades. Antes eram só dois vacinadores por ADR e, em muitos casos, a vacina era deixada com o criador, que acabava não imunizando o gado. Agora não: nós é que vamos ao local e vacinar os animais”, afirmou o superintendente de Agricultura e Pecuária, Nildo Cardoso, esclarecendo que, se for necessário, as equipes vão trabalhar também aos sábados.

As 60 mil cabeças de gado dos pequenos criadores representam cerca de 25% do total do rebanho bovino e bubalino (búfalos) do município, estimado em 250 mil animais. Este ano, a abertura oficial da campanha no município será na região do Imbé, em local a ser definido. “Neste dia vamos fazer um trabalho concentrado naquela região, utilizando todos os vacinadores, para imunizar o maior número de animais possível”, acrescentou.

20 anos sem a doença – O estado do Rio de Janeiro mantém há quase 20 anos o status de “área livre de aftosa com vacinação”. Os últimos focos ocorreram em 1997, nos municípios de Itaperuna, no Noroeste do estado, e Magé, na Baixada Fluminense. A doença não é fatal, mas a inflamação na boca prejudica a alimentação do animal, que perde peso e valor de mercado. O produtor que não declara às autoridades a vacinação do rebanho é multado e fica impedido de circular com o gado.

*Fonte: Secom Campos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: