Prefeito de Cardoso Moreira afirma ter herdado dívida de R$ 1,5 milhão com a Previdência

Ao contrário dos Estados endividados, que conseguiram rolar dívidas com o governo federal, milhares de Prefeituras Brasil a fora estão com cofres vazios, e sem o mesmo tratamento por parte do governo federal, continuam de cofres vazios e cheios de dificuldades. Esse exemplo de dificuldade afeta, por exemplo, o município de Cardoso Moreira, no Noroeste do Estado do Rio de Janeiro. Na gestão do Prefeito Gegê Cantarino a Prefeitura descontou a contribuição previdenciária dos servidores, mas não repassou para a Previdência, e o seu sucessor, Gilson Siqueira, assumiu o governo agora no início de 2017 com dívida de R$ 1,46 milhão somente para com a Previdência. Outra dívida herdada totaliza R$ 300 mil referente às contas de energia elétrica.

Município emancipado de Campos dos Goytacazes (RJ) em 1988, Cardoso Moreira carece de parcerias para que a Prefeitura possa viabilizar os serviços básicos para a população. Agora em 2017 o prefeito Gilson Siqueira iniciou a gestão com orçamento estimado em R$ 45,3 milhões, “mas com muitas dívidas”, conforme destaca o próprio chefe do Executivo. Gilson relata que o desencontro das contas da contribuição previdenciária foi comunicado ao MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro).

“Conseguimos parcelar a dívida com a Previdência para evitar prejuízos aos servidores, e para evitar o acúmulo de dívidas, com possíveis transtornos para os servidores que vierem se aposentar no futuro. Também negociamos a dívida que encontramos com a Enel (empresa concessionária dos serviços de energia no interior do Estado), e obtivemos êxito em parcelar o débito de R$ 300 mil em seis parcelas de R$ 50 mil”, detalhou o prefeito Gilson Siqueira.

*Rep: Jualmir Delfino

*Foto: Gérson Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: