Posse de novo ministro do TSE adia decisão sobre vereadores de Campos não diplomados

Devido a posse do novo ministro, Tarcísio Vieira Neto, foi adiado possivelmente para a próxima quinta-feira (11) pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a sessão desta terça-feira (9), que decidiria a diplomação dos seis vereadores eleitos no pleito de 2016 em Campos (RJ), mas que não puderam assumir seus mandatos – Linda Mara Silva (PTC), Ozéias Martins (PSDB), Miguelito (PSL), Kelinho (PR) e Thiago Virgílio (PP), que chegaram a ser presos na Operação Chequinho, da Polícia Federal. Jorge Rangel (PTB) é outro que aguarda diplomação. A sessão na Corte foi iniciada na semana passada e começou com voto favorável da então ministra Luciana Lóssio aos políticos. Garotinho também poderá ter de volta sua liberdade de expressão e do exercício da profissão de jornalista.

“A restrição da liberdade de expressão e exercício da profissão de jornalista do paciente Anthony Garotinho, eu também estou concedendo a ordem para que seja suspensa esta medida’, declarou a então ministra do TSE. Ela foi além: “Eu estou concedendo a ordem para revogar as medidas cautelares que suspenderam o exercício da função publica dos cargos de vereador a fim de que os pacientes possam ser diplomados imediatamente” se pronunciou Lóssio. Caso o TSE defina pela diplomação dos seis vereadores, causará uma reviravolta na Câmara Municipal de Campos.

Por decisão do juiz da 100ª Zona Eleitoral, Ralph Manhãs, seis vereadores eleitos no pleito de 2016 em Campos, tiveram suas diplomações suspensas: Linda Mara, Kellinho, Miguelito, Ozéias e Virgílio, que chegaram a ser presos na Operação Chequinho, e Rangel. Com exceção de Rangel, os outros cinco são acusados de um suposto envolvimento com a Operação Chequinho, da PF e chegaram a serem presos.

*Rep: Márcio Fernandes

*Foto: Divulgação

*Atualizada às 14h54

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: