Dia das Mães impulsiona floricultura Fluminense

Dia das Mães chegando, e como em anos anteriores, o mercado de flores aquece a economia fluminense. Esta é a data em que há maior quantidade de venda tanto de flores de corte quanto das espécies comercializadas em vasos. A expectativa dos produtores é de que seja registrado um aumento de 10% na venda de flores em relação ao ano anterior, que movimentou R$ 27 milhões.

A floricultura no estado é bem variada, desde rosas de todas as cores até flores que ganharam, aos poucos, mais espaço no mercado fluminense, como a astromélia. O principal município produtor de flores no estado é Nova Friburgo, com 300 hectares plantados. Quando o assunto é rosas, a maior concentração é em Bom Jardim, também na Região Serrana, que concentra cerca de 200 produtores dessa espécie de flor. Parte do crescimento do setor deve-se ao programa Florescer, da Secretaria de Agricultura, que existe desde 2005 e dá o apoio necessário para os floricultores, oferecendo cursos, orientação técnica e outras formas de suporte, como financiamento.

– Cada flor tem um manejo diferenciado, algumas necessitam de estufas, outras se desenvolvem a céu aberto. Com o apoio do Estado, a cadeia produtiva se profissionalizou muito. Nos anos 1990, por exemplo, praticamente só havia plantações de palmas e rosas – disse Nazaré Dias, coordenadora do programa Florescer.

Além do Dia das Mães, outras datas importantes para a floricultura são Dia dos Namorados, Finados e Dia da Secretária. Ao longo do ano, a demanda vai, em grande parte, ao setor de decoração.

Rosas são as preferidas

As rosas lideram o posto de campeãs das vendas. As vermelhas são as preferidas dos consumidores, ficando no mínimo com 80% das escolhas. Em segundo lugar, fica a branca. Outras flores de corte muito procuradas são gérberas, lírios, lisianthus, crisântemos e astromélias – que já estão bem adaptadas ao clima brasileiro. Junto com as flores, seja de uma rosa individual ou um buquê, também são comercializadas as pequenas flores envazadas e folhagens, que ajudam a compor o presente.

– Chuva de prata e a amarelinha tango, além de folhas de samambaia, para a composição de buquês, também têm muita saída em datas especiais – explicou o produtor Vadite Chamboudet, que espera vender 30 mil dúzias de rosas até domingo.

Expectativa para a data

Entre as envasadas, as orquídeas são uma preferência que vêm se sustentando há anos. A da espécie Phalaenopsis, ou Orquídea Borboleta, é a mais comercializada e mais produzida no país. Hoje, elas são cultivadas em todo o estado, e não apenas nas tradicionais regiões de altitude. O Orquidário Imperial, por exemplo, vende 300 mil vasos dessa flor por ano, e as produzem em Maricá e Itaboraí.

–A expectativa é vender até domingo cinco mil vasos de orquídea. Muitas pessoas, apesar de gostarem desse tipo de flor, temem que sejam sensíveis. Mas seguindo algumas dicas, o presente pode durar muitas estações – explicou o produtor Rodrigo Aragão.

*Fonte: Imprensa RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: